Casos de marketing de conteúdo

Inspire-se com 5 Cases de Sucesso de Marketing de Conteúdo

Marketing-Conteudo

Convidamos você a conhecer na prática excelentes cases de empresas que utilizam com inteligência o marketing de conteúdo para atrair novos leads e fidelizar cada vez mais seu público.

É notório que a comunicação e o marketing estão se transformando a cada dia. Os velhos anúncios que empurravam promoções e as propagandas focadas somente nas vendas perderam espaço para o compartilhamento de informações, proximidade com o público e preocupação em divulgar o quanto a sua empresa é referência no mercado em que atua.

Confira agora como algumas empresas brasileiras estão atuando na web e conquistando cada vez mais a empatia, confiança e admiração de seu público:

1 – CACAU SHOW

Uma das franquias que mais crescem no Brasil, a Cacau show possui um site super atrativo, com destaques para as novidades, informações para ser um franqueado e um espaço para crianças.

Estão presentes no Youtube, onde veiculam suas promoções, anúncios e campanhas (sempre interagindo com pessoas nas ruas); Instagram, local que publicam imagens de dar água na boca; Twitter, com links para as páginas do site da empresa e Facebook, com mais de 5 milhões de seguidores e que é atualizado diariamente.

No Facebook, a empresa aposta em imagens de seus produtos e em textos com linguagem solta, descontraída, que atinge perfeitamente seu público-alvo. Apostam na divulgação de frases e situações onde o chocolate está presente em nossas vidas. Observem que a empresa estimula suas vendas nas redes sociais sem mencionar preço, mas sim, apenas mostrando sua principal matéria prima que é a paixão de todos nós. Vale a pena conferir!

2 – SUPERMERCADO DIA

O Dia possui um site onde divulga a Revista DIA, publicação mensal que oferece receitas com os produtos que o supermercado oferece, matérias interessantes, dicas para os consumidores sobre saúde, alimentação e bem estar.

Esta linguagem é transferida para as redes sociais que o Dia possui, que são o Twitter e o Facebook. O foco é em receitas diferenciadas fáceis de serem feitas. É interessante observar que as ofertas dos supermercados, tão recorrentes de empresas deste ramo de atividade perdem a atenção para postagens sobre o que fazer com os produtos comprados na rede.

Dicas de como escolher os melhores alimentos, como “Escolha a laranja pelo peso. Quanto mais pesada a laranja, mais suco ela rende!” fazem sucesso com o púbico. Divulgue informações importantes, que prendam a atenção de seus consumidores e que possam agregar algo em suas vidas.

3 – RISQUÉ

Uma das marcas de esmalte mais utilizadas pelas mulheres brasileiras é a Risqué. A empresa investe bastante em ações web que estreitam ainda mais o relacionamento com suas clientes fiéis. Seu site possui o catálogo de produtos, dicas para cuidados das unhas, simulador (você consegue verificar na prática como a cor ficará em suas unhas), aplicativos exclusivos, blog e muito mais! É um excelente portal para a mulherada se divertir e soltar a imaginação nas cores de suas unhas.

No Facebook a empresa arrasa! Demonstra, através de fotos coloridas, toda a modernidade e tecnologia dos esmaltes, com linguagem próxima e intima com seu público. As mulheres podem mandar fotos de suas mãos com seus esmaltes favoritos que a Risqué publica e faz sucesso!

4 – TIGRE

A Tigre é um exemplo interessante de como uma empresa com um assunto um pouco mais especifico pode conquistar seu público de forma criativa. Em seu site, além da parte institucional e de produtos, a empresa divulga o “Mundo Tigre”, que foca no compartilhamento de conhecimento para seu público incluindo o “Jornal Tigre e você”, com conteúdo que ajudará os instaladores em seu dia a dia, dicas de utilização dos produtos e os serviços da empresa.

A Tigre possui um canal no Youtube, onde divulga seus comerciais, produtos e passo a passo para instalações. Estão também no Plus, Twitter e Facebook. Este último, com mais de 70 mil seguidores, divulga informações da empresa de uma maneira “humana”, deixando de lado as especificações técnicas de seus produtos.

Investem em dicas como “Cuidados com gastos desnecessários em obras” ou “Vai furar a parede? Coloque um pedaço de papel ou plástico embaixo do local que for furar e mantenha a sua casa limpa”. Além disso, o “Desafio Tigre” faz com que seu público interaja com a empresa para decifrar enigmas em que seus produtos estão inseridos: “Desafio Tigre: quantas caixas d’água Tigre de mil litros empilhadas seriam necessárias para chegar na mesma altura do monte Everest, a mais alta montanha do mundo?” – esta ideia faz muito sucesso nas redes sociais e é uma excelente forma de aproximação com seus consumidores finais.

5 – MEU AMIGO PET

O mercado de pet é um dos mais lucrativos de nosso país. A empresa Meu Amigo Pet, com franquias espalhadas por todo Brasil, faz questão de estar perto de seu público com ações diferenciadas na web. A empresa é conhecida como uma “enciclopédia animal”, onde você conseguirá dados importantes para qualquer assunto relacionado ao seu pet.

No site estão separadas as categorias pelos animais que atendem, facilitando a busca de seus visitantes. Possuem um blog fantástico, que divulgam dicas para cachorros, gatos, pássaros, peixes, sempre com bom humor e com cunho informativo. As dicas são acessadas por milhares de pessoas diariamente, tornando-se assim mais do que um blog, mais sim um portal de busca de informações pet.

Estão presentes no LinkedIn, Twitter, Plus e Facebook. As redes sociais servem como porta para seu público visitarem o blog ou site da empresa. Campanhas como “envie a foto de seu pet”, frases fofas acompanhadas de imagens de bichinhos incrivelmente encantadores nos comovem e nos fazem segui-los de uma forma natural e não imposta pela empresa. E esta é a verdadeira proposta do marketing de conteúdo.

Podemos perceber que diferentes empresas podem conseguir mais fãs e pessoas interessadas em seus conteúdos de uma forma única, com personalidade e proximidade. É preciso focar sempre em PESSOAS e suas preferências e comportamento, para assim atingi-las da melhor forma.

Quais os benefícios que seus produtos oferecem ao público? O que sua empresa faz que facilita a vida das pessoas? Sobre o mercado em que atua, quais as novidades e notícias que podem ser publicadas e que ajudarão a aumentar o conhecimento de seus consumidores?

Conquistando mais pessoas interessadas em seu conteúdo, as chances de aumentar as vendas e o know-how de sua marca aumentam bastante. Inspire-se e aproveite!

Fonte: Vitamina Publicitaria

Compartilhe: Share on FacebookShare on LinkedInTweet about this on TwitterShare on Google+Share on TumblrEmail this to someone

Ver Post

Como sua empresa se comporta nas redes sociais

Redes Sociais
Quais as Redes Sociais sua empresa está presente?

Quando uma empresa recebe críticas de um cliente em uma rede social, os gestores podem reagir mal, devido a potenciais danos aos negócio e para a reputação da marca. O proprietário da empresa geralmente tem uma reação automática e responde com pouca simpatia.

Não obstante outras empresas podem optar pela estratégia inversa: não responder. Ao ignorar as críticas negativas, esperando uma dissipação natural no “éter” da Internet, corre-se o risco de a opinião estar, ao mesmo tempo, gernado uma tempestade ainda pior nas redes.

As duas estratégias são erradas, de acordo com o CEO da Locality, Jay Shek, o qual identifica quatro erros a evitar na gestão de crises.

1 – Reagir com comentários positivos falsificados

Algumas empresas tentam inundar a página na rede social com comentários positivos, na esperança de mitigar os efeitos da crítica negativa. Uma rápida pesquisa no Google sobre opiniões falsas revela um setor florescente de empresas de Marketing especializadas em produzir essas opiniões. Mas ao optar por esse caminho, a empresa corre o risco de ver a tática exposta, seguindo-se a humilhação publica. E as hipóteses de ser apanhada são crescentes.

2 – Exagerar nas reacções públicas

Os varejistas menores tendem a exagerar emocionalmente na reação , enquanto os profissionais de Marketing de uma grande empresa são geralmente mais experientes e equilibrados. As redes sociais estão repletas de pequenos empresários protestando contra as críticas dos clientes. Mas isso só os faz parecer menores, mesquinhos e, claro, menos profissionais.

Reagir negativamente tem reflexos ainda piores para os negócios do que o comentário negativo inicial”.

Face a algumas opiniões ‒ como “a lasanha estava terrível ” ‒ pode não se querer reagir, por não haver muito a fazer, de qualquer maneira. Com outros comentários críticos , a resposta deve pelo menos reconhecer a frustração do cliente, assim como apresentar formas de corrigir a situação.

3: Ser demasiado passivo

As opiniões publicadas online são as novas fontes de informação do mercado sobre os clientes. As empresas pagam milhares de Reais para obter esse tipo de conhecimento. “Agora, os clientes o dão de graça às empresas”, diz Shek. ” Não se deve ignorá-lo só por se achar que o comentário  é injusto ou exagerado”.

Isso não significa, necessariamente, que se deva responder a cada opinião crítica. No entanto, é útil estar atento à emergência de padrões. Por exemplo, se muitos clientes concordarem que “a lasanha estava terrível”, então é hora de ter uma conversa séria com os cozinheiros.

4: Oferecer correções normalizadas

Ao reagir a uma análise crítica, a abordagem deve ser feita offline, porque os comentários online podem denotar arrogância. Uma conversa offline oferece a oportunidade de se entender o problema e trabalhar para resolvê-lo. Não se trata de dar, por exemplo, um desconto de 30%, por norma. Resulta mal habituar os clientes a reclamarem para tentarem obter um desconto.

Depois de uma conversa, os clientes podem até apreciar os esforços da empresa e, por sua vez , publicar um comentário positivo. É uma forma de transformar uma crítica negativa em uma grande mensagem de Marketing.

Fonte: casesdesucesso.com.br

Compartilhe: Share on FacebookShare on LinkedInTweet about this on TwitterShare on Google+Share on TumblrEmail this to someone

Ver Post

Fábrica troca homens por mulheres, cria ‘vale-salão’ e dobra produtividade

 

fabrica_mulheres
Fábrica troca todos os funcionários homens por mulheres

Em meio às faíscas e ao barulho da linha de produção, lábios com batom e rostos maquiados. Na fábrica de equipamentos industriais Dimensão Máquinas, em Trindade (GO), são as mulheres que fazem o trabalho pesado.

Desde que passou a contratar força de trabalho feminina para atuar na linha de produção, em 2009, o empresário Francisco Luciano Alves de Jesus, 37, diz que a produtividade aumentou e os negócios começaram a prosperar.

Jesus diz que, enquanto três homens demoravam 45 dias para produzir um equipamento, o mesmo número de mulheres fazia o serviço em metade do tempo. No ano, eles produziam a média de oito peças e elas, 16.

“Com os homens, tinha dificuldade para dividir tarefas porque eles eram mais orgulhosos. Já as mulheres trabalham melhor em equipe, o que possibilitou o aumento no quadro de funcionários e, consequentemente, a produtividade.”

Em quatro anos, o número de funcionárias aumentou e o faturamento da fábrica triplicou, segundo o empreendedor. Enquanto em 2009, a receita anual do negócio era de R$ 200 mil, a arrecadação de 2013 já superou os R$ 600 mil.

A mudança começou quando o empresário precisou de apoio na produção para dar conta dos pedidos. “Na época, só tinha eu e três homens na produção. Pedi para a secretária dar uma força e ela gostou do trabalho. Conforme a empresa foi crescendo, comecei a contratar apenas mulheres”, diz.

A secretária, que hoje não trabalha mais na fábrica, gostou da atividade e pediu para permanecer na linha de produção, segundo Jesus. Depois dela, outras secretárias foram contratadas, mas também pediram para mudar de setor.

De acordo com o empresário, a inclusão de operárias na produção começou a incomodar os homens. “Eles não aceitaram ter mulheres na mesma função e com o mesmo salário. Em um ano, os três pediram demissão”, declara.

Hoje, a empresa tem 11 funcionárias e quatro estagiárias e fabrica oito peças por mês. As funções são de soldadora, eletricista, montadora, torneira mecânica e pintora. Nenhum homem, além do proprietário, trabalha na empresa.

Para premiar a equipe quando uma meta é atingida, o empreendedor criou o “vale-salão”. Elas ganham de R$ 50 ou R$ 100 por mês como motivação quando batem a meta.

“O salão de beleza é apenas uma sugestão para uso do dinheiro, mas elas podem gastar o benefício como quiserem”, afirma.

Segundo Jesus, apesar de as funcionárias terem liberdade para usar o dinheiro para comprar o que quiserem, na maioria das vezes elas utilizam o bônus no salão de beleza.

Além do “vale-salão”, o empresário disponibiliza estojos com batom, rímel e cremes para as operárias retocarem a maquiagem durante o expediente.

“Ainda que tenhamos de usar uniforme e o trabalho seja um pouco desgastante, não deixamos de lado nossa vaidade”, declara a gerente de produção Joice Ioleni da Silva, 26.Ambiente misto favorece troca de ideias na empresa

Para a consultora do Sebrae-GO (Serviço de Apoio às Micro e Pequenas Empresas de Goiás) Paula Cristina Borges Gomide, as mulheres têm algumas virtudes inatas, como maior capacidade de concentração e de executar várias tarefas ao mesmo tempo.

No entanto, segundo Gomide, não dá para dizer que os homens estavam impedindo o crescimento da empresa. “As mulheres souberam preencher falhas que os antigos profissionais deixaram, provavelmente porque estavam desmotivados”, diz.

A gerente nacional de recrutamento e seleção do grupo Manpower, Lisângela Melo, afirma que a contratação de profissionais não deve levar em consideração características como sexo, idade, altura, peso, etnia ou religião. A competência deve ser o quesito principal.

“Um ambiente misto, com homens e mulheres, jovens e profissionais experientes, é sempre o mais indicado, pois favorece a troca de ideias e faz com que um problema seja analisado com olhares diferentes”, declara.

Fonte: Uol

Compartilhe: Share on FacebookShare on LinkedInTweet about this on TwitterShare on Google+Share on TumblrEmail this to someone

Ver Post

Exemplos de estratégias de endomarketing

endomarketing
Crescendo junto com a empresa

Exemplo de boas estratégias de endomarketing

O Endomarketing tem como objetivo motivar os funcionários, de modo que eles se sintam realmente parte integrante da empresa e importantes com o seu trabalho. Em suma, são ações com a finalidade de promover a interação do funcionário juntamente com a empresa, criando métodos motivacionais, ações envolvendo familiares, treinamentos, valorizações e atividades do gênero para que a satisfação no ambiente de trabalho seja sempre favorável para o colaborador, gerando assim retornos cada vez mais rentáveis para a empresa.

As empresas estão sentindo uma necessidade real de cuidar de seus colaboradores. Quanto maior o grau de satisfação, empenho e motivação vindos internamente, maiores serão as chances das empresas decolarem.

Por isso trouxemos algumas ações de três empresas que contam com o Endomarketing no DNA de seus negócios e que o frequente crescimento apresentados por elas pode estar diretamente ligados a ações como essas.

FIAT

Para o Endomarketing, o colaborador deve ser tratado da mesma forma e com a mesma atenção que o cliente externo. A Fiat acredita nisso e os primeiros clientes que fazem testes-drives em seus lançamentos são seus colaboradores. Além dos funcionários serem os beneficiados pelas ações e a empresa com os resultados, o Endomarketing também faz parte da vida da família dos funcionários Fiat. A empresa oferece festas de bodas de aniversário de casamento e de debutantes para as filhas de seus colaboradores como forma de incentivo. E ainda não acaba por aqui. A empresa dispõe de uma plataforma tecnológica que auxilia na comunicação interna, disponibilizando vagas, lista telefônica, promoções e um link “Fale com o Presidente”, possibilitando que qualquer funcionário se comunique diretamente com o chefe.

TOYOTA

Na Toyota foi implantado de uma maneira diferenciada das ações individuais. A forma adotada pela montadora para motivar seus clientes internos foi apostar na criatividade no trabalho em equipe. Lá, milhares de novas ideias vindas diretamente dos colaboradores são colocadas em prática a cada ano. Quando um novo funcionário é contratado, antes mesmo de realizar suas funções, ele passa por um treinamento de aproximadamente cinco meses, sendo um mês dedicado apenas à cultura Toyota, outros dois meses em fábrica para ver como são produzidos os carros e os outros dois meses diretamente na concessionária para entender as necessidades e desejos dos clientes. Dessa forma, ele é capacitado e instigado a ter novas ideias que possam complementar os projetos de melhorias da empresa, sentindo-se assim, cada vez mais útil e engajado com os propósitos da companhia.

Além da ação de criatividade no trabalho em equipe e dos habituais benefícios oferecidos pela empresa, a Toyota investe muito em treinamentos, palestras de motivação e incentivos aos projetos de seus funcionários.

Hoje a Toyota é empresa de referência mundial no quesito marketing interno por entender como construir e aplicar relacionamentos fortes e motivadores com seu público interno.

GOLDEN CROSS

Golden Cross é uma empresa brasileira pioneira no mercado de planos de saúde. A companhia chegou a investir cerca de R$750 mil em uma campanha de Endomarketing como incentivo de vendas nas filiais de São Paulo, Rio de Janeiro, Brasília, Belo Horizonte e Porto Alegre. A ideia da campanha era distribuir prêmios de R$ 40 mil a R$ 70 mil para serem usados na compra ou reforma da casa própria para os corretores de cada filial que obtivessem o melhor resultado num período de tempo estipulado. Além disso, a corretora distribuiu eletrodomésticos para os melhores corretores.

No final da ação, a companhia ofereceu remuneração extra diferenciada de acordo com o desempenho dos corretores nas vendas, em avaliações semestrais.

Para concluir, gostaria de pontuar que Endomarketing deve ter como princípio o planejamento. Não espere que os problemas venham à tona para que depois seja feita alguma ação de agrado (agrado por agrado não é endomarketing) para o colaborador e dessa forma remediar a situação. Pesquise e analise seu cliente interno, descubra seus pontos positivos e negativos para que assim seja possível elaborar boas e produtivas campanhas de endomarketing capazes de trazerem ótimos resultados tanto para os colaboradores quanto para a empresa.

Fonte: ideiademarketing.com.br

Compartilhe: Share on FacebookShare on LinkedInTweet about this on TwitterShare on Google+Share on TumblrEmail this to someone

Ver Post