Winner

Marketing e propaganda, você sabe a diferença?

Comumente se ouve falar de marketing e propaganda, de vendedores ambulantes até o mais alto cargo em uma empresa, e isso é ótimo, pois é um conhecimento que todos deveriam ter independente da sua colocação profissional no Mercado.

Apesar dos referidos termos serem bastante divulgados, não se há na maioria das vezes a distinção entre os dois, até mesmo entre estudantes de Administração ou cursos similares. Apartir desta constatação nos aprofundararemos um pouco mais no tema.

De acordo com KOTLER (1976), o marketing é a análise, organização, planejamento e controle dos recursos da empresa, gerados a partir do consumidor, com o objetivo de satisfazê-lo em suas necessidades e desejos, de forma lucrativa.

Já para BARBOSA e RABAÇA (2001), as ações de marketing envolvem toda a vida do produto ou serviço, desde o momento em que ele é apenas uma ideia, invenção, projeto ou uma demanda do consumidor detectada em pesquisa, até o consumo, incluindo as etapas de pós-venda (atendimento ao consumidor após a compra do produto ou contratação do serviço). Isto é, conhecer o que o consumidor deseja além de estudar a produção desta necessidade (bem ou serviço), produzi-la, distribuí-la e vendê-la ao consumidor, inclusive orientando este a consumir o produto. Através do marketing, procura-se satisfazer as necessidades de consumo e criar novas necessidades.

Para entender o conceito de publicidade deve se ater a sua definição baseada em alguns autores. De acordo com o Código de Ética dos Profissionais da Propaganda no Brasil (1976), a propaganda é a técnica de criar opinião pública favorável a um determinado, serviço, instituição ou ideia, visando orientar o comportamento humano das massas num determinado sentido.

O termo propaganda possui dois sentidos bem definidos: o sentido político e o sentido comercial. No sentido político, propaganda é a divulgação de doutrinas, opiniões, informações e afirmações baseadas em fatos, verdadeiros ou falsos, com o fim de influenciar o comportamento do público em geral ou de um grupo de pessoas consideradas como cidadão.

No sentido comercial, significa divulgação de mensagens por meio de anúncios, com o fim de influenciar o público como consumidor.

Apartir destas distinções se percebe que o marketing é então, mais abrangente que a publicidade, que é o ato de publicar algo – uma curiosidade a parte, o símbolo da publicidade é um galo – fazendo assim parte do marketing, este que vai desde o estudo de Mercado, elaboração e produção de um serviço ou produto até o pós – venda.

Compartilhe: Share on FacebookShare on LinkedInTweet about this on TwitterShare on Google+Share on TumblrEmail this to someone

Ver Post

Benefícios da Revenda por Catálogo

Nos dias de hoje, a profissão de vendas ainda é uma das que mais crescem em todo o território brasileiro. Porém, o seu formato mais tradicional não é mais o único e disputa diretamente com outros métodos para a realização de vendas.

Uma das formas de venda que mais cresce em todo o Brasil é certamente a revenda. O crescimento acontece de forma bem expressiva, e dá muito certo principalmente considerando o novo perfil do consumidor: o cliente dos dias de hoje não quer unicamente realizar uma compra e sair contente com ela. Ele quer, além disso, criar uma interação com essa marca.

Quem sai ganhando é também o consumidor, que ganha um tratamento único e diferenciado em cada uma de suas compras, afinal, o atendimento não é diretamente na empresa, e sim por meio de um revendedor, que está ali unicamente para auxiliar o cliente em questão.
Porém, é claro que os benefícios mais expressivos estão relacionados ao próprio revendedor, que além de garantir uma alta lucratividade por cada uma de suas vendas, também cria interação com os clientes.

Qualidade de vida é uma expressão que indica as condições de vida de um ser humano, que envolve várias áreas, como o bem físico, mental, psicológico e emocional, relacionamentos sociais, como família e amigos e também saúde.

Descubra que é possível ter qualidade de vida trabalhando!
Um dos grandes motivos é este que leva as pessoas a busca pela venda porta a porta, a qual proporciona uma carreira crescente em vários aspectos, além de permitir a qualidade de vida, tais como:
– Uma ampla rede de contatos;
– Maior circulo de amizades;
– Agenda flexível;
– Alimentação Saudável;
-Tempo para a família;
– Maior tempo para descanso;
-Controle do seu ambiente de trabalho.

Uma dica para as revendedoras é apresentarem soluções diretamente para os clientes como forma de conservação dos produtos e quais itens não podem faltar.
Além disso, é por meio do trabalho de revenda que o indivíduo pode organizar melhor a sua própria agenda, já que ele pode conciliar o seu trabalho com outras atividades do dia a dia ou até mesmo para cuidar da casa e dos filhos.

Mas, afinal, porque revender cama, mesa e banho? A verdade é que o cliente preza por um atendimento único e personalizado, coisa que um revendedor pode oferecer melhor do que ninguém.

Sendo assim, revender cama, mesa e banho é uma ótima opção para aqueles que querem oferecer um diferencial para os seus clientes.

Sucesso e bons negócios a todos!

Compartilhe: Share on FacebookShare on LinkedInTweet about this on TwitterShare on Google+Share on TumblrEmail this to someone

Ver Post

01

Revenda por Catálogo no seu Bairro

Os catálogos para revender enxovais são boas opções para quem está querendo ter uma renda extra, trabalhando no próprio bairro ou mesmo a partir de casa.
Naturalmente os enxovais de cama, mesa e banho, são muito procurados pelas donas de casa e se você for uma pessoa de fácil relacionamento em seu bairro, as chances são que as vendas irão acontecer de uma maneira ainda mais natural e frequentemente. Isso que é o importante para conseguir gerar renda com a revenda de enxovais por catálogos.
Pensando nessa oportunidade que pode vir a despertar interesse em muitas pessoas, preparamos algumas dicas úteis que vão lhe ajudar a começar trabalhar dessa forma:

– Vantagens de pegar catálogos para revender enxovais
Uma das principais vantagens que as pessoas observam logo de inicio é a possibilidade de pegar catálogos para revender enxovais sem precisar investir muito dinheiro, sendo que na maioria das empresas o pagamento inicial para efetuar o cadastro e ter direito aos catálogos fica entre R$ 20 e R$ 60 Reais, portanto é possível iniciar com pouco e ter um bom lucro ao final de cada mês se você for realmente uma boa vendedora.
Outra vantagem ao trabalhar com os enxovais por catálogos é que esses produtos tem sempre uma boa vendagem em todos os lugares, afinal são itens necessitados no dia a dia de todas as residências. A maioria dos produtos vendidos são enxovais para cama, mesa e decoração, então você oferecerá uma boa diversidade de coisas para melhor atender aos seus clientes.

– Uma excelente margem de lucro

Como você pôde notar, a margem de lucro varia de 25% a 100% sobre seus produtos revendidos e essa é uma ótima porcentagem para quem pretende iniciar a revenda de produtos com o mínimo possível de investimentos. De qualquer forma, mesmo oferecendo uma boa margem de lucro para os revendedores, ainda é necessário trabalhar muito para que se consiga tirar pelo menos 1 salário mínimo com os catálogos para revender enxovais.
Com a ajuda de especialistas, criamos um passo a passo para você entrar neste ramo e ter sucesso:

1. Encare a atividade como sua profissão – tenha um horário diário para se dedicar, como se fosse uma jornada de trabalho;

2. Comece oferecendo para amigos, parentes, no trabalho, na faculdade;

3. Peça a cada um desses clientes que indique mais uma pessoa de confiança para quem você possa oferecer os produtos;

4. Deixe catálogos com seu nome e telefone em cabeleireiros, lojas… Ah, e não se esqueça de agradar as donas com brindes;

5. No começo, o ideal é ter mais clientes e uma margem menor de lucro: compensa vender R$ 10 por pessoa e ter 50 clientes do que o inverso;

6. Se alguém que você não conhece muito bem fizer um pedido enorme e você ficar com medo de não receber a grana, diga que a empresa estipula uma cota pequena para revendedores iniciantes e que você já a estourou. Sugira que se divida a compra;

7. Crie um panfleto (não é caro) e distribua pelo bairro e destaque a pronta-entrega;

8. Dedique-se às clientes – anote todos os produtos da preferência dela. Assim que entrarem em promoção, ofereça: isso garante a venda e deixa a cliente contente por pagar mais barato;

9. Invista na pronta-entrega: sempre surge algum cliente que foi pego de surpresa com uma festa e precisa presentear. Isso costuma ocorrer em datas comemorativas;

10. Produtos do seu estoque encalharam? Faça cestas baratas e venda-as em reuniões e bingos. Você lucra com as peças e ainda demonstra produtos novos. Mas atenção ao prazo de validade;

11. Se uma cliente comprou algum produto com defeito, ajude-a a efetuar a troca e a reclamar no SAC. Isso criará um laço de confiança entre vocês.

Compartilhe: Share on FacebookShare on LinkedInTweet about this on TwitterShare on Google+Share on TumblrEmail this to someone

Ver Post

Encantar e Fidelizar Clientes – Dicas Essenciais

01

 

A qualidade do atendimento e serviço ao cliente são fatores fundamentais para a satisfação do consumidor. Em tempos de crise e queda nas vendas, o atendimento se destaca como um diferencial competitivo e recurso estratégico na conquista e fidelização de mais clientes. Neste post destacamos algumas dicas para o encantamento do cliente, atitudes e práticas que, além de gerar maior satisfação no consumidor:

1. A qualidade do atendimento nunca será superior à qualidade das pessoas que o fornecem
Colaboradores insatisfeitos e desmotivados, com baixos salários, sem treinamento e sem políticas de valorização se desempenham de maneira insatisfatória. Baixa qualificação, falta de uma liderança eficaz também contribuem para atendimento de baixa performance.
Lembre-se do seu papel e responsabilidade como líder e das habilidades requeridas para gerir pessoas de maneira eficaz. Procure conhecer seus colaboradores e constantemente valorizá-los, desenvolvendo suas capacidades e recompensando seu desempenho. Se você os encantar como colaboradores, eles encantarão seus clientes.

2. As empresas não cuidam das pessoas, mas as pessoas sim
A empresa é uma entidade composta por pessoas. São elas que interagem com os clientes. A qualidade dessa interação determinará a satisfação ou não do cliente, se ele ficará tentado a voltar ou não, futuramente. O consumidor espera zelo, atenção e cuidados por parte das pessoas que o atendem.

3. Os colaboradores tratam os clientes da maneira que eles são tratados
Funcionários recebem orientações da gerência. Se você cumprimentar seus colaboradores com entusiasmo e emoção todos os dias, eles se sentirão valorizados. Se você procurar ouvi-los e compreendê-los, eles se sentirão respeitados e reconhecidos. Consequentemente farão o mesmo com os clientes.

4. Você conhece quem são seus clientes?
Se um cliente regular chega à sua empresa, você o reconhece. Chama-o pelo nome? Todas as pessoas gostam de se sentir importantes. Chamar alguém pelo nome é uma maneira simples de fazer o outro se sentir valorizado. Faça seu cliente saber que você o reconhece e o valoriza como pessoa.

5. Dê o que todos clientes esperam
Existem atributos que são esperados pelos consumidores em relação à qualidade do atendimento e do serviço prestado. Segundo pesquisas, a satisfação dos consumidores em uma transação e relacionamento continuado com uma empresa depende dos seguintes fatores:
• O consumidor é influenciado pelo ambiente e a atmosfera do espaço físico. Elementos como música, cor e cheiro podem representar atração ou repulsa dos sentidos do cliente;
• A capacidade dos atendentes de atuar de maneira segura e precisa. Muitas vezes o consumidor percebe que o atendente não tem informações suficientes sobre o produto ou serviço. Isso pode levá-lo a buscar ajuda na concorrência;
• Atualmente os consumidores não têm tempo a perder. O sistema de atendimento deve ser desenhado de modo amigável facilitando a agilidade e rapidez na solução da necessidade do consumidor;
• A credibilidade e comunicação assertiva do atendente inspira confiança e segurança para o cliente tomar a decisão de compra
• Empatia é a capacidade dos funcionários de se preocuparem com as pessoas e oferecer-lhes atenção especial. Colocar-se no lugar do cliente e buscar compreendê-lo totalmente gera satisfação e sentimentos positivos nele.

6. Para atingir a excelência no atendimento, exceda as expectativas do cliente.
Surpreender um cliente positivamente provoca uma sensação de alegria e prazer. Inclua sempre um “muito obrigado” no pacote, sacola ou envelope que você dá ao cliente. No dia de seu aniversário envie-lhe um cartão ou uma mensagem personalizada por meio de um email ou Facebook. Isso vai agregar valor para ele e lembrá-lo que você se importa com ele.

7. Seus clientes são saudados quando entram em sua empresa?
A indiferença é o modo mais rápido para perder um cliente. Por exemplo, quando um consumidor entra em uma loja no shopping olhando as mercadorias e percebe indiferença e desatenção do atendente, seu sentimento é negativo. Ele não vai se sentir motivado a interagir, pelo contrário. Uma simples saudação não apenas significa respeito, mas demonstra de modo explícito que a empresa se importa com o cliente.

8. Dê aos clientes o benefício da dúvida
Contrariar o cliente ou provar que ele está errado não vale a pena. Além de criar resistência, não agrega nenhum valor à parceria. Você nunca vai ganhar uma discussão com um cliente, e é melhor nunca colocar um cliente nessa posição. Quando precisamos mostrar ao cliente que ele não poderá obter o que deseja devemos ser muito cuidadosos, sobretudo no que falar e principalmente no “como” falar.

9. Se um cliente faz uma solicitação especial, empenhe-se para atender sua expectativa.
O fato de o cliente sentir-se à vontade para pedir algo extraordinário demonstra que ele confia na empresa. Se você precisar fazer uma exceção que não consta das normas e políticas de atendimento ao consumidor em sua empresa, avalie as repercussões. Pondere também no grau de relacionamento já existente com o cliente, sobretudo seu valor potencial como comprador. Caso o benefício potencial e o retorno financeiro, mesmo em longo prazo, sejam positivos, simplesmente faça.

10. Sua equipe de atendimento é treinada continuamente sobre como lidar com reclamações e clientes difíceis?
Forneça diretrizes e orientações de como abordar cada cliente, o que dizer para encantá-lo e como se comportar adequada e respeitosamente. Pessoas na linha de frente são o cartão de visitas da empresa e desempenham o papel mais crítico na experiência do consumidor. Certifique-se de que seus colaboradores saibam o que fazer e o que dizer para tornar a experiência do consumidor agradável e positiva.

11. Quer saber o que o consumidor pensa da sua empresa? Pergunte pra ele
Crie um cartão ou painel curto e simples do tipo “Como estamos indo?” e deixe-o à vista do cliente, na área de saída, para que o consumidor possa avaliar o atendimento e dar opinião constantemente. Pergunte sobre o que os clientes gostam e o que eles não gostam, o que eles gostariam que mudasse, o que a empresa pode fazer melhor, como foi sua última experiência, etc. Para garantir que o cliente o preencha, facilite o modo de entrega, colocando uma caixa coletora ou envelope com selo pré-pago.
É muito mais caro e oneroso conquistar um novo cliente do que manter a carteira existente. Ao estreitar seu relacionamento com o cliente você pode aumentar seu volume de vendas com aquele cliente, por meio de mais penetração e oferta de outros produtos.
A percepção de cada consumidor sobre a sua empresa irá determinar quão bem você administra seu negócio e esta percepção dependerá do nível de qualidade de serviço que você fornece.

02

 

Compartilhe: Share on FacebookShare on LinkedInTweet about this on TwitterShare on Google+Share on TumblrEmail this to someone

Ver Post

marketing-redes-midias-sociais-capa

Qual a importância do Marketing em Redes Sociais?

Mídia Social Móvel

A crescente adoção de smartphones e seus comportamentos associados deve fazer com que sua abordagem de comunicação com o seu público seja diferenciada, pois você deve estar preparado para que o seu público se comunique com você também. Respostas devem ser instantâneas e soluções precisam ser rápidas. Isso pode ser o diferencial de sua empresa.

Envelhecimento da base social

As quatro Grandes Redes Sociais (Facebook, Twitter, Youtube e Instagram) não estão somente atingindo máxima penetração, mas estão atraindo uma população mais madura.

É importante identificar cada vez mais este público, e adaptar as suas mensagens sociais para estes clientes, cujo instinto natural pode não ser compartilhar, mas simplesmente se comunicar uns com os outros.

marketing-redes-midias-sociais-teclado

Medindo sucesso

Após a conquista de seu público, é importante encontrar a melhor maneira de medir o que está funcionando nas mídias sociais para que eles possam descobrir como eles podem alocar melhor seus gastos.

Utilização de várias redes sociais

Um bem sucedido plano de mídia social não envolve apenas empurrar uma mensagem em uma certa rede ou a mesma mensagem em várias redes, mas sim orquestrar várias mensagens através de múltiplas redes. Usar uma combinação de redes e uma mensagem unificada, que é claramente diferenciada para cada público e rede, é essencial para engajar com êxito os consumidores.

Aumentar a sua atividade diária

É necessário dar às suas atualizações uma melhor chance de serem vistas postando mais e na hora certa.

Especialistas sugiram que se deve postar cerca de quatro vezes por dia no Facebook, e de cinco a 10 vezes por dia, no Twitter.

Alguns estudos têm mostrado que no final da manhã, entre 11h e 12h, o movimento no Facebook cresce.  Outros já afirmam que o melhor horário de se postar no Facebook é entre 1 e 4 da tarde.

Descubra como sua página está sendo acessada, e otimize seus posts de acordo com os horários de maior tráfego.

marketing-redes-midias-sociais-conversa-pessoas

Ênfase no conteúdo visual

Conteúdo visual foi enorme em 2013, com as redes sociais com base em imagens como Pinterest e Tumblr crescendo em 88% e 74%, respectivamente. Especialistas preveem que a tendência vai continuar e crescer ainda mais no ano que vem, com forte conteúdo visual tornando-se uma parte crucial de estratégias de mídia social das empresas. A jogada inteligente seria a de tornar o conteúdo em mídias sociais com menos texto e mudar a ênfase para fotos e infográficos. Os chamados micro vídeos também vão se instalar como uma nova e dinâmica fonte.

Anúncios nas redes sociais

Em 2015, anúncios em redes sociais vão explodir, desafiando as velhas formas de publicidade. Essa já é uma indústria que vale bilhões e vem acelerando rapidamente, com previsão de atingir US $ 11 bilhões em receitas em 2017. Sua campanha de Marketing tem quer estar onde o público está, e com o crescimento de usuários nas redes sociais, deve haver um crescimento de anúncios pagos nessas redes e você precisa considerar essa opção.

Marketing de conteúdo

Quase 50% das empresas já têm estratégias de marketing de conteúdo e é muito importante salientar que não estamos falando apenas de uma imensa quantidade de conteúdo, mas de conteúdo de alta qualidade.

marketing-redes-midias-sociais-conversa-pessoas-tecnologias

Compartilhe: Share on FacebookShare on LinkedInTweet about this on TwitterShare on Google+Share on TumblrEmail this to someone

Ver Post

marketing-sensorial-olfato-visão-audição-tato-paladar-capa

Melhore suas vendas utilizando o Marketing Sensorial

O marketing sensorial surgiu na Inglaterra e anda fazendo bastante sucesso por aqui e consiste basicamente em estimular os sentidos de uma forma ou de diversas ao mesmo tempo. O segredo é acima de tudo conhecer o produto com o qual você trabalha na loja. A ideia é basicamente essa e tem feito muito sucesso em todo o mundo. Além disso, outras lojas trabalham com perfumadores de ambientes que dão um cheiro característico aquele comércio.

Abaixo, o especialista em marketing lista algumas formas para otimizar os resultados do negócio por meio do marketing sensorial:

Visão

Cuidado com o excesso de cores e imagens, ou seja, evite poluição visual. O produto deve ter destaque sem que as muitas mensagens venham a confundir o seu público-alvo. O estabelecimento deve escolher cores que identifiquem sua ideologia.

marketing-sensorial-olfato-visão-audição-tato-paladar-2

Audição

Músicas devem ser adequadas aos ambientes. Em lugares mais agitados a música alta pode vir a atrapalhar. Lojas devem dispor de uma “rádio” interna própria, com seleções de músicas que envolvam o ambiente e se identifiquem com o perfil dos clientes, num volume ideal ao seu público. Não se coloca, por exemplo, um Heavy Metal em um restaurante italiano no horário do almoço.

marketing-sensorial-olfato-visão-audição-tato-paladar-3

Tato

O consumidor brasileiro tem o hábito de “observar” com as mãos. Deixar os produtos ao seu alcance pode ser uma grande oportunidade de agradáveis experiências aos consumidores e novos negócios para a empresa.

marketing-sensorial-olfato-visão-audição-tato-paladar-4

Paladar

Este sempre foi o conquistador de todos. Há até o ditado: “conquistou o marido pelo estômago”. Oferecer ao cliente agrados como chocolates, balas ou outras guloseimas que agreguem, além do sabor, características visuais e olfativas, pode tornar a experiência de compra inesquecível, bem como satisfazer o cliente por ganhar um brinde.

marketing-sensorial-olfato-visão-audição-tato-paladar

Olfato

As essências podem ser utilizadas para personalizar o ambiente. É necessário apenas ter cautela quanto ao exagero da quantidade ou excesso de essências distintas em um mesmo ambiente.

Compartilhe: Share on FacebookShare on LinkedInTweet about this on TwitterShare on Google+Share on TumblrEmail this to someone

Ver Post

Casos de marketing de conteúdo

Inspire-se com 5 Cases de Sucesso de Marketing de Conteúdo

Marketing-Conteudo

Convidamos você a conhecer na prática excelentes cases de empresas que utilizam com inteligência o marketing de conteúdo para atrair novos leads e fidelizar cada vez mais seu público.

É notório que a comunicação e o marketing estão se transformando a cada dia. Os velhos anúncios que empurravam promoções e as propagandas focadas somente nas vendas perderam espaço para o compartilhamento de informações, proximidade com o público e preocupação em divulgar o quanto a sua empresa é referência no mercado em que atua.

Confira agora como algumas empresas brasileiras estão atuando na web e conquistando cada vez mais a empatia, confiança e admiração de seu público:

1 – CACAU SHOW

Uma das franquias que mais crescem no Brasil, a Cacau show possui um site super atrativo, com destaques para as novidades, informações para ser um franqueado e um espaço para crianças.

Estão presentes no Youtube, onde veiculam suas promoções, anúncios e campanhas (sempre interagindo com pessoas nas ruas); Instagram, local que publicam imagens de dar água na boca; Twitter, com links para as páginas do site da empresa e Facebook, com mais de 5 milhões de seguidores e que é atualizado diariamente.

No Facebook, a empresa aposta em imagens de seus produtos e em textos com linguagem solta, descontraída, que atinge perfeitamente seu público-alvo. Apostam na divulgação de frases e situações onde o chocolate está presente em nossas vidas. Observem que a empresa estimula suas vendas nas redes sociais sem mencionar preço, mas sim, apenas mostrando sua principal matéria prima que é a paixão de todos nós. Vale a pena conferir!

2 – SUPERMERCADO DIA

O Dia possui um site onde divulga a Revista DIA, publicação mensal que oferece receitas com os produtos que o supermercado oferece, matérias interessantes, dicas para os consumidores sobre saúde, alimentação e bem estar.

Esta linguagem é transferida para as redes sociais que o Dia possui, que são o Twitter e o Facebook. O foco é em receitas diferenciadas fáceis de serem feitas. É interessante observar que as ofertas dos supermercados, tão recorrentes de empresas deste ramo de atividade perdem a atenção para postagens sobre o que fazer com os produtos comprados na rede.

Dicas de como escolher os melhores alimentos, como “Escolha a laranja pelo peso. Quanto mais pesada a laranja, mais suco ela rende!” fazem sucesso com o púbico. Divulgue informações importantes, que prendam a atenção de seus consumidores e que possam agregar algo em suas vidas.

3 – RISQUÉ

Uma das marcas de esmalte mais utilizadas pelas mulheres brasileiras é a Risqué. A empresa investe bastante em ações web que estreitam ainda mais o relacionamento com suas clientes fiéis. Seu site possui o catálogo de produtos, dicas para cuidados das unhas, simulador (você consegue verificar na prática como a cor ficará em suas unhas), aplicativos exclusivos, blog e muito mais! É um excelente portal para a mulherada se divertir e soltar a imaginação nas cores de suas unhas.

No Facebook a empresa arrasa! Demonstra, através de fotos coloridas, toda a modernidade e tecnologia dos esmaltes, com linguagem próxima e intima com seu público. As mulheres podem mandar fotos de suas mãos com seus esmaltes favoritos que a Risqué publica e faz sucesso!

4 – TIGRE

A Tigre é um exemplo interessante de como uma empresa com um assunto um pouco mais especifico pode conquistar seu público de forma criativa. Em seu site, além da parte institucional e de produtos, a empresa divulga o “Mundo Tigre”, que foca no compartilhamento de conhecimento para seu público incluindo o “Jornal Tigre e você”, com conteúdo que ajudará os instaladores em seu dia a dia, dicas de utilização dos produtos e os serviços da empresa.

A Tigre possui um canal no Youtube, onde divulga seus comerciais, produtos e passo a passo para instalações. Estão também no Plus, Twitter e Facebook. Este último, com mais de 70 mil seguidores, divulga informações da empresa de uma maneira “humana”, deixando de lado as especificações técnicas de seus produtos.

Investem em dicas como “Cuidados com gastos desnecessários em obras” ou “Vai furar a parede? Coloque um pedaço de papel ou plástico embaixo do local que for furar e mantenha a sua casa limpa”. Além disso, o “Desafio Tigre” faz com que seu público interaja com a empresa para decifrar enigmas em que seus produtos estão inseridos: “Desafio Tigre: quantas caixas d’água Tigre de mil litros empilhadas seriam necessárias para chegar na mesma altura do monte Everest, a mais alta montanha do mundo?” – esta ideia faz muito sucesso nas redes sociais e é uma excelente forma de aproximação com seus consumidores finais.

5 – MEU AMIGO PET

O mercado de pet é um dos mais lucrativos de nosso país. A empresa Meu Amigo Pet, com franquias espalhadas por todo Brasil, faz questão de estar perto de seu público com ações diferenciadas na web. A empresa é conhecida como uma “enciclopédia animal”, onde você conseguirá dados importantes para qualquer assunto relacionado ao seu pet.

No site estão separadas as categorias pelos animais que atendem, facilitando a busca de seus visitantes. Possuem um blog fantástico, que divulgam dicas para cachorros, gatos, pássaros, peixes, sempre com bom humor e com cunho informativo. As dicas são acessadas por milhares de pessoas diariamente, tornando-se assim mais do que um blog, mais sim um portal de busca de informações pet.

Estão presentes no LinkedIn, Twitter, Plus e Facebook. As redes sociais servem como porta para seu público visitarem o blog ou site da empresa. Campanhas como “envie a foto de seu pet”, frases fofas acompanhadas de imagens de bichinhos incrivelmente encantadores nos comovem e nos fazem segui-los de uma forma natural e não imposta pela empresa. E esta é a verdadeira proposta do marketing de conteúdo.

Podemos perceber que diferentes empresas podem conseguir mais fãs e pessoas interessadas em seus conteúdos de uma forma única, com personalidade e proximidade. É preciso focar sempre em PESSOAS e suas preferências e comportamento, para assim atingi-las da melhor forma.

Quais os benefícios que seus produtos oferecem ao público? O que sua empresa faz que facilita a vida das pessoas? Sobre o mercado em que atua, quais as novidades e notícias que podem ser publicadas e que ajudarão a aumentar o conhecimento de seus consumidores?

Conquistando mais pessoas interessadas em seu conteúdo, as chances de aumentar as vendas e o know-how de sua marca aumentam bastante. Inspire-se e aproveite!

Fonte: Vitamina Publicitaria

Compartilhe: Share on FacebookShare on LinkedInTweet about this on TwitterShare on Google+Share on TumblrEmail this to someone

Ver Post

Atendimento diferencial e competitivo

DEZ DICAS PARA TORNAR O ATENDIMENTO UM DIFERENCIAL COMPETITIVO

atendimento

A guerra de preços do comércio eletrônico levou as lojas a buscarem eficiência operacional a qualquer custo. Os investimentos são reduzidos, as equipes são enxutas, a logística vira uma incerteza e os fornecedores tornam-se vilões. Neste cenário, poucas estão conseguindo equilibrar seus resultados e muitas lojas estão no limite, trabalhando sem margem (de lucro?) e ainda perdendo clientes. A perspectiva para elas é desastrosa, pois a guerra de preços não tem fim.

Do outro lado do mundo o exemplo da Zappos chama atenção: a loja não mede esforços nem investimentos para encantar o cliente e cresceu estratosfericamente nos últimos anos. Mas não precisamos ir tão longe para constatar a força de um bom atendimento. No Brasil algumas lojas estão saindo ilesas da guerra de preços. Outras nem entraram. Estas empresas entendem que a loja é virtual, mas enxergam um cliente real.

Como fazem? Selecionamos 10 práticas de atendimento em comércio eletrônico que diminuem a sensibilidade do consumidor sobre o preço. Faça um paralelo entre como sua loja funciona hoje e como poderia funcionar com as propostas abaixo:

1. Equilibre os investimentos entre atração e recepção

Não adianta gastar todo budget na atração dos consumidores para o site e recepcioná-los mal. Invista mais tempo para aumentar a conversão de quem chega à loja do que em trazer mais e mais visitantes com baixa conversão. Quando a conversão aumentar, volte a levar mais pessoas para a loja. Este ciclo de crescimento é mais consistente e você orienta a evolução aos resultados.

2. Exponha seus canais de atendimento

As pessoas que compram não são necessariamente as que consomem os canais de atendimento da sua loja, mas ao mostrar que você está acessível durante a compra, e assim continuará durante toda a experiência, gera o sentimento de segurança que influencia diretamente a decisão do consumidor . Por isso, deixe sempre os canais de atendimento expostos e fale abertamente que você estará lá sempre que o cliente precisar.

3. Reforce o contato nos momentos mais críticos

A facilidade para acessar o atendimento pode ser determinante nos momentos decisivos da navegação, como a hora de inserir o cartão de crédito. Identifique em quais momentos o seu cliente mais abandona carrinhos e se coloque à disposição para ajudá-lo. O chat pode fazer uma abordagem ativa perguntando se o cliente necessita de ajuda, o que aumenta ainda mais a chance do mesmo efetivar a compra.

4. Escolha os canais apropriados ao seu público

A sua loja é eletrônica e o cliente escolheu comprar seus produtos por este meio. Se ele precisar entrar em contato, provavelmente vai optar pelo canal eletrônico. Por isso , atendimento pessoal, endereço para carta e atendimento telefônico só devem ser usados em casos extremos. Os canais de atendimento online – como chat, e-mail e redes sociais – são os mais adequados.

5. Use os feedbacks do cliente para evoluir

O momento de contato com o cliente deve ser explorado ao máximo. Se ele solicitou atendimento antes de comprar, trate suas dúvidas e registre-as para verificar se não há oportunidade de melhora na navegação. Se o contato foi após a compra entenda onde seu processo de pós-venda pode melhorar para fidelizar este cliente. Quanto mais usar essas informações para direcionar a evolução do seu negócio, mais os clientes serão fidelizados e menos precisarão entrar em contato.

6. Automatize os atendimentos de assuntos mais comuns

Existem ferramentas com inteligência semântica que conseguem atender bem os clientes a qualquer hora do dia. Desde que seu problema ou dúvida sejam resolvidos, o consumidor tem se mostrado muito aberto a este tipo de atendimento. O custo por um assistente virtual chega a ser 97% menor do que o atendimento humano.

7. Esteja preparado para a sazonalidade

O modelo de software como serviço democratizou o acesso a tecnologias que eram restritas aos gigantes. Busque ferramentas que não demandem grandes investimentos iniciais e que o modelo de comercialização seja on demand. Este formato suporta a sazonalidade da demanda e permite que o investimento seja proporcional ao tamanho da loja.

8. Atenda bem o seu cliente!

Oferecer um canal de atendimento gera expectativa no consumidor. Muitas lojas investem em canais, mas estes não estão disponíveis nos horários de maior acesso. Outra queixa constante é que o atendente não tem autonomia para resolver nenhum tipo de problema e só repete o que está no site. Quanto isso acontece o resultado é o inverso com o consumidor ainda mais insatisfeito. Por isso, atenda o seu cliente enquanto ele estiver no site , crie processos que delegue autonomia para seus representantes e capacite ao máximo sua equipe de atendimento.

9. Trate o cliente igualmente antes e depois da compra

Se você quer fidelizar um cliente que já comprou, dê a mesma atenção que ele recebeu antes da compra. Nas etapas de devolução e troca do produto, esteja sempre presente, aproveite para encantar este cliente. Ofereça os mesmos canais de atendimento e pense que um eventual prejuízo nesta compra pode não representar o retorno do cliente e uma propaganda positiva da sua empresa.

10. Meça os resultados

Estas práticas propõem orientações diferentes e investimentos para a maior parte das lojas virtuais. Por isso, meça. Eleja indicadores que reflitam o desempenho da sua loja e acompanhe a evolução deles a cada passo dado . O objetivo destas práticas é ajudar a empresa a sair do ciclo de sobrevivência e entrar no ciclo de prosperidade.

Fonte: Cases de Sucesso

Compartilhe: Share on FacebookShare on LinkedInTweet about this on TwitterShare on Google+Share on TumblrEmail this to someone

Ver Post

Dicas para aumentar a conversão na loja

Dicas para aumentar a conversão de vendas em sua loja

PDV de Roupa de Cama

Se o consumidor já está dentro de sua loja, agora, como dizem os americanos, “it’s show time”. É a hora de trabalhar pesado nas ações de marketing para surpreender, encantar e conquistar o cliente.

Mantenha o ponto de venda em ordem

Antes de mais nada, é preciso que a casa esteja em ordem. Os produtos deverão estar dispostos de modo a conduzir à compra. Ou seja, coloque os produtos ou serviços anunciados nos banners e faixas na fachada (ou mesmo na vitrine, quando for o caso) em local de fácil visualização.

E, ao lado deles, deixe os produtos que podem ser mais facilmente englobados em uma venda casada.

Os displays, testeiras, sinalizadores de preços, faixas e folhetos devem estar alocados em locais estratégicos, criando um ambiente organizado e convidativo para a visualização e experimentação. É preciso certificar-se também de que o ponto de venda está abastecido com os produtos divulgados nas campanhas.

Afinal, nada desmotiva mais um consumidor do que se encantar com um produto, querer comprá-lo e não conseguir por falta de estoque. E, acima de tudo, os clientes precisam receber um ótimo atendimento.

Pesquisas revelam que esse é um dos principais fatores de decisão de compra. Por isso, aposte na força de sua equipe para realizar a venda.

Aqui, o nome do jogo é motivação. Os funcionários precisam estar preparados para atender bem os clientes e saber comunicar as promoções, as novidades e até mesmo as qualidades técnicas do produto ou serviço. Tudo para que, no final, o consumidor efetue a compra.

Programas de capacitação, treinamentos técnicos e motivacionais podem ajudar a preparar sua equipe. Mas nenhum treinamento adianta se os funcionários não estiverem empenhados em gerar resultados.

Crie uma campanha de incentivo (também chamada de endomarketing), que premie o desempenho da equipe. Alie essa campanha a uma ação promocional para ficar mais fácil medir os resultados e definir o tempo de duração.

Recomenda-se que, com base no histórico de vendas da equipe, você estabeleça uma meta de crescimento sobre o aumento das vendas para premiação. Ao incentivar os colaboradores a oferecerem uma sobremesa de acompanhamento ao prato, por exemplo, é possível aumentar seu ticket médio e ainda atrair mais clientes.

Para que a campanha gere resultado, entretanto, é preciso que ela não se estenda por muito tempo. O ideal é que dure um mês e que os painéis de resultados sejam divulgados semanalmente ou a cada quinze dias entre os funcionários, para que não percam o “pique”.

Como recompensa a premiação pode ser feita em espécie ou em bens. A experiência nos mostra que é melhor que seja feita em bens, já que uma quantia em dinheiro é muito fácil de ser precificada e tende a ser menos valorizada do que um prêmio até mais barato, mas que tenha um valor simbólico maior.  Seja como for, o que importa é movimentar a equipe a ponto de fazer que cada cliente sinta o entusiasmo dos funcionários.

Os empreendedores que seguirem essas e outras práticas que descrevemos acima, certamente vão ampliar –e muito– as chances de sucesso do seu negócio.

Vale lembrar que, para o sucesso do negócio não existe uma fórmula. Existem ações que, combinadas, dão certo. Para converter a entrada do consumidor em venda, alinhe sua equipe, seus produtos e combine com as ações descritas acima. Isso tudo aumenta, e muito, a chance de sucesso.

Compartilhe: Share on FacebookShare on LinkedInTweet about this on TwitterShare on Google+Share on TumblrEmail this to someone

Ver Post

Como sua empresa se comporta nas redes sociais

Redes Sociais
Quais as Redes Sociais sua empresa está presente?

Quando uma empresa recebe críticas de um cliente em uma rede social, os gestores podem reagir mal, devido a potenciais danos aos negócio e para a reputação da marca. O proprietário da empresa geralmente tem uma reação automática e responde com pouca simpatia.

Não obstante outras empresas podem optar pela estratégia inversa: não responder. Ao ignorar as críticas negativas, esperando uma dissipação natural no “éter” da Internet, corre-se o risco de a opinião estar, ao mesmo tempo, gernado uma tempestade ainda pior nas redes.

As duas estratégias são erradas, de acordo com o CEO da Locality, Jay Shek, o qual identifica quatro erros a evitar na gestão de crises.

1 – Reagir com comentários positivos falsificados

Algumas empresas tentam inundar a página na rede social com comentários positivos, na esperança de mitigar os efeitos da crítica negativa. Uma rápida pesquisa no Google sobre opiniões falsas revela um setor florescente de empresas de Marketing especializadas em produzir essas opiniões. Mas ao optar por esse caminho, a empresa corre o risco de ver a tática exposta, seguindo-se a humilhação publica. E as hipóteses de ser apanhada são crescentes.

2 – Exagerar nas reacções públicas

Os varejistas menores tendem a exagerar emocionalmente na reação , enquanto os profissionais de Marketing de uma grande empresa são geralmente mais experientes e equilibrados. As redes sociais estão repletas de pequenos empresários protestando contra as críticas dos clientes. Mas isso só os faz parecer menores, mesquinhos e, claro, menos profissionais.

Reagir negativamente tem reflexos ainda piores para os negócios do que o comentário negativo inicial”.

Face a algumas opiniões ‒ como “a lasanha estava terrível ” ‒ pode não se querer reagir, por não haver muito a fazer, de qualquer maneira. Com outros comentários críticos , a resposta deve pelo menos reconhecer a frustração do cliente, assim como apresentar formas de corrigir a situação.

3: Ser demasiado passivo

As opiniões publicadas online são as novas fontes de informação do mercado sobre os clientes. As empresas pagam milhares de Reais para obter esse tipo de conhecimento. “Agora, os clientes o dão de graça às empresas”, diz Shek. ” Não se deve ignorá-lo só por se achar que o comentário  é injusto ou exagerado”.

Isso não significa, necessariamente, que se deva responder a cada opinião crítica. No entanto, é útil estar atento à emergência de padrões. Por exemplo, se muitos clientes concordarem que “a lasanha estava terrível”, então é hora de ter uma conversa séria com os cozinheiros.

4: Oferecer correções normalizadas

Ao reagir a uma análise crítica, a abordagem deve ser feita offline, porque os comentários online podem denotar arrogância. Uma conversa offline oferece a oportunidade de se entender o problema e trabalhar para resolvê-lo. Não se trata de dar, por exemplo, um desconto de 30%, por norma. Resulta mal habituar os clientes a reclamarem para tentarem obter um desconto.

Depois de uma conversa, os clientes podem até apreciar os esforços da empresa e, por sua vez , publicar um comentário positivo. É uma forma de transformar uma crítica negativa em uma grande mensagem de Marketing.

Fonte: casesdesucesso.com.br

Compartilhe: Share on FacebookShare on LinkedInTweet about this on TwitterShare on Google+Share on TumblrEmail this to someone

Ver Post